Procure no blog:



Perfeito imperfeito

domingo, 1 de junho de 2014

Não há deusas, não há altares
Não há corações aprisionados
Não há mulheres em pilares
Não há amores idolatrados.

Há amor genuíno, paixão vadia
Há vontade não controlada
Há desejo desenhado noite e dia.

Há um crescer de uma expressão
Há o termo doce, há a amada
Há a simples exaltação.
Há o tudo e o nada.

Não há o não.
Mas há saber dizer não.
Há o sim e o em mim.
Há o em ti e o em nós.
E de nós, sem fim.

Não há concordar sempre
Não há identificar sempre
Há um quadro de mil cores
Umas ressoam outras não
E então?
Não há vários tipos de amores.
Amor há só um:
   a perfeita imperfeição.
   na virtude, o coração
   o beijo no defeito.
   o ficar sem jeito.

É gostar de como é
Não ter partes, ser total
É amar o imperfeito
   que faz do amor, assim: real.