Procure no blog:



Tudo e Nada

quinta-feira, 21 de abril de 2011

És mais que teu rosto quente
Crepitação de sol redondo
No soltar de um olhar ardente
Que apenas no coração respondo
Torto e sem jeito.
- És mais que um astro perfeito.

Por seres mais não és sem fim
És o ponto onde começa e acaba
Fuga de um olhar de mim
No limiar de uma singela estrada.

És tudo e não és nada.

Na chuva que cai da minha alma
És a totalidade das lágrimas
Gotas que são em mim o que se palma
Vazio onde nascem palavras íntimas.

Sim, és tudo e não és nada.
Tamanho elogio abismal
Oh quem me enche e esvazia
Nesse movimento total
Cria o que sou: versos e poesia.