Procure no blog:



Lua Diamante

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Lua que te pintas em ti no céu nua
Em teu desenho em tons de redondo
Contraste no negro da noite que tua
Se abre ao sonho e escrita de conto.

Lua cheia que em teu surgir és prova
Da tua luz e nela te fazes minguante
Na auréola de branco és boa nova
Seja como for, és tu, lua diamante.

Lua que no escuro escondido de beijos
Dás a fugaz imagem de seus semblantes
Na luz cheia e rápida como os desejos
Pintas seus lábios, és lua de amantes.

Lua que ilumina a escrivaninha despida
Tapada só com uma folha de papel
Tua luz é espelhar de beleza preciosa;
É inspiração para a história de vida
Que lança em letras o escritor fiel
Em seu romance onde retrata formosa
A mulher amada, a mulher amante.
Lua diamante, Lua de amante.

O Eterno Hoje

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012


São mundos dentro de mundos
São esferas dentro de esferas
Simples entrelaçados fundos
De presentes e distantes quimeras.

São rasgos de pequenas expressões
Pedaços de imagem que espelha
Todas as mesmas emoções
Que provêm da mesma centelha.

São pinceladas de quem não se vê
Desenhos de quem sente o porquê
Dos cruzamentos em metamorfose
Génese de uma somente osmose.

São esferas dentro do mundo
É o mundo dentro de esferas
São estes tempos, estas eras
De um hoje sereno e profundo.